sábado, 13 de junho de 2009

Mancuso: A arte da guerra


O Fabrício fez um post tão completo sobre a passagem do Mancuso no Palmeiras que acho muito justo que o comentário tenha um destaque maior. Afinal quem se lembra do Benazzi com a camisa verde prova que é palmeirense mesmo...hehehe
Particularmente eu gostava do Mancuso, mas aquele ano de 1995 é para se apagar da memória... talvez se tivesse ganho um título ele fosse melhor lembrado pelos palestrinos.
Segue abaixo o comentário do grande Fabrício sobre o Mancuso:
Mancuso havia sido pedido por Luxemburgo para temporada de 94, para fazer dupla com o Sampaio, mas o Boca só fez negócio no início de 95.
O Palmeiras havia acabado de perder o próprio Sampaio, Evair, Zinho, todos para o Yokohama Flugells do Japão, e o Luxa para o Flamengo(que faria 100 anos).Trouxe o Mancuso, Válber, Muller, Nilson e o técnico Valdir Espinosa(que havia sido Campeão da Libertadores, sonho alviverde, com o Grêmio em 81) para tentar substituí-los. Mancuso foi de longe o que teve melhor desempenho logo na chegada, mas comparar o qualquer time do Palmeiras com o de 94 era muitíssimo injusto.
Chegou demonstrando raça, liderança, bom passe e chute. É fato que batia bastante pra média brasileira dos anos 90(foi até eleito como o jogador mais violento do Brasil qdo jogava no Flamengo). Não lembro se foi na Libertadores ou no Paulista que Mancuso foi inscrito com a camisa 10 do time.
Jogos que tenho claro na memória em que Mancuso jogou muito bem, foram uma vitória no Paulista sobre o SCCP por 3x0 com 3 gols do atacante prata-da-casa Magrão; a primeira final do Paulista novamente contra o SCCP, 1x1, em que o Roberto Carlos perdeu um pênalti; o jogo do quase, em que batemos o Grêmio por 5x1 mas fomos eliminados da Libertadores, com direito a gol de Mancuso(que ainda chutou uma bola raspando o travessão aos 40 do 2º tempo), e a fatídica finalíssima do Paulista-95 onde o Muller quis ser goleiro numa falta do Marcelinho Carioca.
Mancuso acabou saindo com o fim do BR-95, onde fomos eliminados da disputa semifinal pelo Santos(0x1 no Pacaembu), já com Luxemburgo no banco e montando o timaço de 96. Como fiquei chateado na época fui atrás de maiores informações do motivo de sua saída: descobri que Mancuso era um líder forte da equipe, que reivindicava diversas coisas da diretoria para os jogadores, etc.. Era um bom jogador, que como "líder sindical" incomodava a direção da equipe. Não lembro se foi vendido ou trocado com alguém do Flamengo... se foi troca deve ter sido pelo zagueiro Cláudio(que jogou em 96 vindo do Flamengo) e ainda uma grana que o Palmeiras deve ter recebido. Lembro que após sua transferência a Placar publicou um pôster dele como "Gringo Redentor", que teria ido ao Flamengo colocar vergonha na cara dos jogadores que decepcionaram o clube em seu Centenário com o ataque dos sonhos.
Hoje o Mancuso é auxiliar do Maradona na seleção argentina e vai muito bem obrigado.

5 comentários:

  1. Ele era 10 na Libertadores e 5 no Paulista.
    Vale lembrar que quando ele jogava no Boca, na derrota de 6x1 pro Palmeiras, ele mordeu a orelha do Amaral! rs

    ResponderExcluir
  2. "Mancuso é auxiliar do Maradona na seleção argentina e vai muito bem obrigado".

    Ele pode até estar bem, já a seleção argentina...

    ResponderExcluir
  3. Pelo que eu sei, o Mancuso era 10 na Paulista. Na libertadores o 10 era o Valber ... não me lembro do ano de 1995, mas sempre procuro cousas relativas a esse ano ... e acho que o Mancuso era bom jogador ... mas se compararmos com o Mazinho, Sampaio complica ...

    ResponderExcluir